SINPOLJUSPI delibera nova assembleia extraordinária para 20 de outubro

0
26
Assembleia Geral realizada na sede do SINPOLJUSPI nesta terça-feira, 21 de setembro

O Sindicato dos Policiais Penais do Piauí (SINPOLJUSPI) realizou uma Assembleia Geral nesta terça-feira (21) para discutir demandas apresentadas pela categoria ao Governo do Estado do Piauí que, até o momento, não foram atendidas, como perdas salarias e incentivos à carreira dos Policiais Penais.

De acordo com o presidente do SINPOLJUSPI, Vilobaldo Carvalho, durante o encontro ocorrido nesta terça, a categoria deliberou um prazo de 30 dias para que o Governo apresente proposta quanto às reivindicações dos Policiais Penais.

Diretoria do SINPOLJUSPI reunida na Assembleia Geral

“A categoria tem feito sua parte, laborando em sobrecarga de trabalho, com perdas salariais e sem incentivos à carreira que possam melhorar a sua autoestima, mas, mesmo assim, com o devido bom senso, deliberou por conceder um prazo máximo de 30 dias para que o Governo do Estado apresente uma proposta concreta sobre as reivindicações. Com isso, deveremos ter uma nova Assembleia Geral Extraordinária até o dia 20 de outubro, quando poderá ser tomada decisão com repercussão nas atividades realizadas nas Unidades Prisionais do Piauí”, disse Vilobaldo Carvalho.

Entre as pautas de reivindicações estão: a Proposta de Projeto de Lei para transformação e reclassificação do cargo de agente penitenciário em Policial Penal e criação da gratificação de produtividade, também já encaminhada ao governo pelo Sindicato, assim como a reposição inflacionária.

Assembleia Geral contou com a presença da categoria

Outro ponto discutido pela categoria reunida hoje em Assembleia Geral diz respeito à questão de armamentos para os Policiais penais, cuja situação é vexatória e humilhante, onde centenas de PPs não possuem uma arma cautelada pelo Estado para que possam defenderem suas vidas e a de seus familiares, principalmente, em uma profissão que é considerada a 2° mais perigosa do mundo, segundo a OIT é diante da crescente criminalidade perpetradas por facções criminosas

“Uma verdadeira aberração, algo surreal e talvez sem precedentes em nenhum outro lugar do mundo, o Governador precisa ter ciência da nossa realidade, precisamos dizer olhando para ele que não existe Polícia sem arma, merecemos respeito, queremos respeito e o Estado tem  o dever de zelar pela vida de seus policiais e não entregar nossas cabeças de mão beijada para os criminosos”, concluiu o Presidente do Sindicato.

O Governo do Estado tem até o dia 30 de setembro para o envio do Projeto de Lei Orçamentária/2022 para a Assembleia Legislativa do Piauí. Caso não haja previsão quanto a reposição inflacionária, por exemplo, os servidores que já acumulam perdas salariais há mais de 5 anos terão mais um ano de achatamento salarial.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui