SINPOLJUSPI se manifesta sobre o caso do Policial Penal baleado durante tentativa de assalto em Campo Maior

0
23
Policial Penal do Maranhão, Arlindo Lima de Oliveira Neto

Um policial penal identificado como Arlindo Lima de Oliveira Neto foi baleado no peito na noite desse domingo (27), por volta de 23h30, em uma tentativa de assalto registrada no bairro Parque Estrela, localizado na cidade de Campo Maior, distante 84 km de Teresina. Arlindo Neto é lotado no presídio do Maracujá, em Timon-MA.

De acordo com o comandante do 15º Batalhão da Polícia Militar de Campo Maior, major Etevaldo Alves, o policial penal estava em uma residência com amigos, quando dois criminosos chegaram ao local em uma motocicleta e anunciaram o assalto. Ao perceber que Arlindo Neto estava armado, um dos bandidos efetuou disparos que o atingiram no peito. Um amigo, identificado como Sebastião Alves de Sousa Neto, acabou sendo baleado no braço e na barriga.

“Os dois elementos, em uma moto Fan, de cor preta, chegaram anunciando o assalto. Eles viram que ele [policial penal] estava com uma arma na cintura e efetuaram dois disparos contra o policial e outros dois contra o amigo dele”, explicou o major.

As vítimas foram encaminhadas para o Hospital de Campo Maior. Sebastião Alves foi liberado logo em seguida e Arlindo Lima foi transferido para o Hospital de Urgência de Teresina (HUT), onde passou por cirurgia e encontra-se em observação, sem risco de morte.

Logo após o crime, os criminosos abandonaram a motocicleta e um revólver e fugiram a pé. “Eles abandonaram a moto, seguiram a pé e tomaram a motocicleta de um entregador de pizza nas imediações e também foi encontrada uma arma de fogo no chão na fuga”, acrescentou.

Por volta de 4h desta segunda-feira (28), uma pessoa foi presa e a polícia busca confirmar se o indivíduo tem envolvimento com o crime. “Nós continuamos em diligências para tentar localizar os dois acusados, que se encontraram nessa moto que foi abandonada”, finalizou.

SINPOLJUSPI se manifesta sobre o caso

O Sindicato dos Policiais do Piauí se manifestou sobre o caso, considerando que o crime ocorreu no Estado do Piauí e na cidade de Campo Maior, onde está localizada a penitenciaria “Jose de Arimateia Barbosa Leite” e mesmo a vítima sendo Policial Penal no vizinho Estado do Maranhão, considera como sendo um ataque e uma afronta aos Policiais Penais do Piauí, especialmente aqueles lotados em Campo Maior

O Sindicato afirma que a Polícia Penal está articulada em Campo Maior com a Polícia Civil, Polícia Militar e a Polícia Rodoviária Federal no sentido de não aceitar inerte ataques do crime organizado contra nenhum integrante das Forças de Segurança Pública.

 

Fonte: GP1

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui